remedio para emagrecer

Remédio para emagrecer: vale a pena tomar?

É um fato: o uso de remédio para emagrecer se popularizou nos últimos tempos. Mas será que esta é a melhor opção? Saiba tudo sobre o assunto!

Remédio para emagrecer. Se você já travou uma batalha com o seu peso, certamente já pensou em usar esse tipo de produto.

Ou, se não pensou em usar, no mínimo foi atrás para saber exatamente do que se trata, suas vantagens e desvantagens.

O uso de remédios para emagrecer tem se tornado cada vez mais comum. Mas apesar disso, ainda existe muita dúvida com relação ao seu uso.

Não é por acaso que muitos deles têm seu uso proibido ou controlado e poucos são liberados pela Vigilância Sanitária para uso regular.

Se você está lendo esse post, provavelmente deve estar se perguntando se pode ou não fazer uso de remédio para emagrecer e ficar livre do seu problema com a gordura ou com o excesso de peso, não é mesmo?

Por isso, preparamos este material para lhe ajudar a tomar essa decisão com mais segurança e convicção!

Por que emagrecer é tão difícil?

Antes de começar a falar dos remédios para emagrecer e sua aplicação na medicina moderna, é interessante entender por que emagrecer da maneira natural — ou seja, com dietas e atividades físicas — parece tão difícil.

Veja bem: você já parou para pensar quanto tempo demorou para conquistar os quilos extras que tanto te incomodam? Ou para ultrapassar a linha do excesso de peso? Ou até mesmo para cultivar aquela barriguinha que te atrapalha na hora de usar aquela blusa que tanto gosta?

Provavelmente você nunca prestou atenção nesse processo de ganho de peso enquanto ele ocorria, mas podemos te garantir que seu corpo levou um longo período de tempo para chegar, pouco a pouco, nessa forma física de que você não gosta.

Qual seria, portanto, o tempo necessário para seu corpo se livrar dessas reservas adiposas que ele levou tanto tempo para conquistar? Você já havia pensado nisso?

Da mesma maneira que você levou um tempo para ganhar peso, o seu corpo também vai demorar para perdê-lo e provavelmente terá muito mais dificuldade nessa tarefa.

A formação de reservas adiposas é uma estratégia protetora do nosso corpo, que prefere garantir que terá estoque de energia para se manter vivo, do que correr o risco de passar por um período inesperado de jejum.

Por esse motivo, pratique atividades físicas regulares e tenha muita disposição para se manter nessa rotina, nunca se esqueça de que perder peso é um processo longo e demorado. Porém, se realizado corretamente, ele garante um resultado satisfatório por muito tempo.

Quando surgiram os remédios para emagrecer?

Os medicamentos para emagrecer começaram a aparecer quando a batalha contra o excesso de peso na população mundial ganhou força.

Com o índice cada vez maior de pessoas desenvolvendo doenças crônicas relacionadas à má alimentação — como a diabetes tipo 2 e as doenças cardíacas — e a obesidade mundial crescendo, a ciência começou a buscar alternativas mais agressivas e eficientes para controlar o peso dos pacientes.

Aliado às dietas restritivas e às rotinas de atividades físicas para acelerar a queima de calorias, os medicamentos para emagrecer surgiram como o caminho mais rápido para alcançar o resultado que muitos desejavam.

Apesar de facilitar o controle das doenças causadas pelo excesso de peso, a solução se tornou um problema quando o uso de remédios para emagrecer foi banalizado – além disso, os efeitos colaterais dos medicamentos começaram a se mostrar complicados.

A medicina perdeu o controle do uso dessas medicações, que começaram a ser comercializadas no mercado negro por pessoas que desejavam emagrecer desesperadamente.

Por esse motivo, a FDA (Food and Drug Administration) e a ANVISA começaram a trabalhar no controle da venda e uso desses produtos.

Desde então, o uso de remédios para emagrecer é feito sob a vigilância desses dois órgãos e só pode ser prescrito por um médico.

Quais são os remédios para emagrecer mais tradicionais?

Os remédios tradicionalmente utilizados para emagrecer podem ser divididos em três grupos diferentes:

Anorexígenos

Os anorexígenos são popularmente conhecidos como anfetaminas ou inibidores de apetite — dai o fato do nome remeter ao termo “anorexia”.

Eles atuam em regiões específicas do cérebro que controlam o apetite e influenciam na vontade que a pessoa tem de comer algo.

O uso de anorexígenos deve ser feito somente com a supervisão de um médico, visto que eles apresentam efeitos colaterais graves e que exigem cuidado redobrado.

Sacietógenos

Os sacietógenos atuam na sensação de saciedade produzida no seu usuário. Isto significa que quem faz uso desse medicamento sente menos fome do que o usual.

Atualmente, este tipo de medicamento tem sido frequentemente relacionado a problemas cardíacos.

Inibidores de absorção de gorduras

Estes remédios atuam, como o próprio nome diz, na inibição da absorção de gorduras pelo organismo.

Esse tipo de medicamento impede o sistema gastrointestinal de absorver moléculas de gordura provenientes da alimentação. Com isso, essa gordura não absorvida é eliminada pelas fezes.

Talvez este seja o remédio para emagrecer menos eficiente dos três apresentados, visto que seu resultado depende intimamente da ingestão de gorduras que o usuário do remédio tem diariamente.

Quais são os perigos associados ao consumo de remédio para emagrecer?

Tomar remédios para emagrecer pode ser muito perigoso para a saúde.

Como acontece com qualquer outro medicamento que tomamos para nos curar de alguma doença ou algum sintoma, o uso de medicamentos para emagrecer também apresenta efeitos colaterais e alguns podem ser bem preocupantes.

Os efeitos colaterais variam de acordo com o princípio ativo do medicamento e com o local que ele atua no nosso corpo.

Os anorexígenos apresentam os seguintes efeitos colaterais primários – os secundários podem ser muito mais graves:

  • Insônia;
  • Irritabilidade;
  • Tremores;
  • Alteração no humor;
  • Aumento da pressão arterial.

Todos eles estão relacionados às alterações no nosso sistema nervoso — local onde esses medicamentos atuam.

Os sacietógenos apresentam como efeitos colaterais primários os seguintes sintomas:

  • Irritabilidade;
  • Insônia;
  • Aumento da frequência cardíaca.

Os inibidores de absorção de gorduras por sua vez, apresentam sintomas diferentes:

  • Ocorrência frequente de diarreia ou fezes amolecidas;
  • Desconfortos gastrointestinais;
  • Quadros de desnutrição e deficiência de vitaminas e minerais.

Como esses medicamentos atuam na absorção do trato gastrointestinal, seus sintomas estão todos relacionados com o funcionamento desse sistema corporal.

Quando tomar remédio para emagrecer?

Apesar dos riscos dos remédios para emagrecer, alguns médicos defendem o uso controlado como auxiliares no controle de peso de quem apresenta risco de vida relacionado à obesidade ou o sobrepeso.

Se pararmos para pensar, os medicamentos para emagrecer foram desenvolvidos pela medicina exatamente com este propósito, e nunca para serem usados sem supervisão ou controle.

Para poder fazer uso de remédio para emagrecer é preciso que você, primeiro, atenda a todos os requisitos que classificam uma pessoa como apta para um tratamento medicamentoso para perder peso.

Essa avaliação é realizada por um médico — o único profissional capaz de indicar o uso dessas medicações e prescrever a droga exata para o tratamento.

De qualquer forma, mesmo usando remédios para emagrecer é preciso mudar hábitos alimentares e fazer exercícios físicos – ou você deverá usar os remédios a vida toda.

A utilização dos remédios para emagrecer só é uma alternativa quando a obesidade é perigosa. Aqueles quilinhos a mais, a gordurinha localizada, ou quaisquer pequenas mudanças, não justificam o uso deste tipo de produto – e só um médico pode dizer quando é o momento certo de fazer isso.

Afinal, devo ou não devo tomar remédios para emagrecer?

Respondendo a pergunta que dá título a esse post, podemos afirmar que a escolha de tomar um remédio para perder peso nunca deve ser feita por você sozinho.

A orientação médica é essencial para que você saiba se tem o perfil para fazer uso desses medicamentos e para que ele também consiga lhe indicar o tipo de remédio ideal para o seu caso.

Usar remédios para emagrecer sem a orientação clínica é assinar um atestado de risco de vida, visto que, como qualquer outra medicação, seu consumo apresenta efeitos colaterais que precisam ser acompanhados de perto por um médico, para que não interfiram na qualidade da sua saúde.

Para concluir, podemos lhe passar a seguinte orientação: não visite um médico pensando somente em obter uma receita para usar um remédio para emagrecer.

Procure um profissional responsável, que sabe o que está fazendo e que não vai prescrever o medicamento como a única solução para o seu caso.

Lembre-se de que seu médico deve sempre colocar a sua saúde em primeiro lugar — e você também deve se lembrar de fazer isso!

 

One comment on “Remédio para emagrecer: vale a pena tomar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>