tom de pele

Você sabia que o tom de pele influencia no envelhecimento?

As diferentes tonalidades da pele surgiram como uma adaptação ao ambiente. Por isso, o contato com o sol tem consequências diferentes em cada tom de pele

O tom de pele era uma consequência natural do contato dos indivíduos com o ambiente, como uma forma de adaptação ao tipo de contato e exposição que esse tecido tinha com os raios solares.

Como o estilo de vida da população mundial mudou muito, e a distribuição de pessoas com tons de pele diferentes aumentou significativamente, hoje podemos observar indivíduos que manifestam consequências do seu contato excessivo ou deficiente com a luz solar, apresentando alterações cutâneas e na saúde.

Um exemplo prático: em locais onde a exposição solar sempre foi pequena, as pessoas desenvolveram um tom de pele mais claro. Hoje, no entanto, uma pessoa com tom de pele muito claro pode nascer em um país como o Brasil – e certamente terá algumas dificuldades por isso.

Uma dessas é o envelhecimento da pele, que pode variar bastante de acordo com o tom do tecido cutâneo encontrado em cada pessoa.

Aqui, vamos explicar como o tom da pele e o seu contato com o ambiente podem influenciar na velocidade do envelhecimento do tecido cutâneo. Confira abaixo!

Tipos de pele

A escala de tons de pele mais famosa, utilizada no campo da dermatologia, divide essas manifestações cutâneas em seis tipos diferentes:

  • Tipo I: pele branca, que queima facilmente e nunca bronzeia;
  • Tipo II: pele branca, que queima facilmente e bronzeia levemente;
  • Tipo III: pele branca ,que queima moderadamente, bronzeia gradual e de maneira uniforme;
  • Tipo IV: pele morena clara, que queima minimamente e bronzeia moderadamente
  • Tipo V: pele morena, que raramente queima e bronzeia de maneira abundante e escura;
  • VI: pele negra, que nunca queima, com pigmentação profunda.

Essa classificação, que estabelece também sua reação com o contato com a luz solar, ajuda a tratar várias doenças e manifestações cutâneas, além de fazer entender quais dos tipos apresentam relação com o envelhecimento acelerado.

A melanina e o envelhecimento

A melanina é um pigmento natural da pele, que atua como protetor do tecido contra raios solares, que, por sua vez, causa lesões e envelhecimento.

As concentrações de melanina eram definidas, antigamente, pela exposição do indivíduo a um ambiente com muito sol.

Por isso, acreditava-se que a região onde a pessoa nasceu definiria o tom de sua pele: africanos sempre apresentariam pele negra, árabes pele de tom moreno e europeus pele branca.

Com a migração de povos diferentes para todos os cantos do mundo, essa regra geográfica não é mais utilizada para definir os tons de pele mais comuns em cada região do mundo.

No entanto, ela ajuda a entender porque as peles mais escuras sofrem menos consequências do efeito dos raios solares (especialmente quando relacionadas ao envelhecimento).

Alterações e tipos de pele

Para entender melhor qual tipo de pele tem um envelhecimento mais acelerado e qual apresenta melhor resposta ao contato com os raios solares, confira abaixo as alterações principais encontradas de cada tom de pele.

Pele negra

A pele negra é formada por uma camada de tecido cutâneo bastante espessa, rica em colágeno e melanina.

Essas características são essenciais para a manutenção de um aspecto mais jovem e saudável. Esse é o tipo de pele que tem o processo de envelhecimento mais lento de todos.

Apesar disso, o indivíduo com a pele negra não pode deixar usar protetor solar, mesmo que seja considerado mais resistente ao sol, pois as radiações solares podem causar outras lesões cutâneas que não estão relacionadas somente com o envelhecimento.

Pele morena

A pele morena é um tecido de tonalidade mais clara que a negra, porém mais escura que a branca por causa de sua concentração de melanina.

Assim como as pessoas com pele de tonalidade negra, as morenas também envelhecem em um ritmo mais lento, por tolerarem melhor os efeitos colaterais do contato com os raios solares.

Essa característica, entretanto, não afasta o indivíduo com pele morena do uso de protetores solares para evitar outras lesões cutâneas mais graves.

Pele oriental

A pele dos orientais, assim como a pele morena, também apresenta uma quantidade interessante de melanina, que ajuda a diminuir os efeitos do envelhecimento nesses indivíduos.

Além da melanina, a pele oriental é rica em colágeno, proteína que ajuda a garantir a elasticidade desses tecidos, diminuindo também as características do envelhecimento natural. O uso de protetor solar também é indispensável para esse tipo de pele.

Pele branca

As peles de tonalidade branca são as mais sensíveis ao envelhecimento e aos efeitos dos raios solares.

Como elas são pobres em melanina e têm pouca concentração de colágeno, o tecido fica exposto à ação da luz solar, desencadeando mais facilmente o envelhecimento de suas células e estruturas.

Além disso, a pele branca é a que mais sofre lesões cutâneas graves quando não é protegida pelo uso de filtros solares.

Para prevenir o envelhecimento em qualquer tipo de pele é preciso conhecer os cuidados ideais para diminuir os efeitos dos raios solares e seus radiciais livres na qualidade e nas estruturas do tecido cutâneo.

Para isso, a ajuda de um dermatologista é fundamental, especialmente se você não tem o hábito de proteger sua pele com o uso de filtros solares.

 

3 comments on “Você sabia que o tom de pele influencia no envelhecimento?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>