diet light zero

Zero, diet ou light: qual a melhor escolha para a saúde?

Light, diet e zero: você sabe as diferenças e para que cada um desses tipos de produtos é recomendado? Descubra qual a melhor opção para a sua saúde!

Refrigerante, sucos, pães, sobremesas lácteas e biscoitos, entre outros alimentos, podem ser encontrados nas prateleiras dos supermercados nas categorias light, diet ou zero. Mas você sabe as diferenças e para que cada um deles é recomendado?

Existe muita informação equivocada a respeito dessas classificações. Por exemplo, que os alimentos diet são ideais para diabéticos, lights são mais saudáveis e que as versões zero são feitas para quem quer perder peso.

Nada disso é necessariamente verdade!

Por isso, é importante saber exatamente o que essas denominações significam, e assim evitar cair em “pegadinhas” da indústria alimentícia.

Zero, diet ou light: qual a melhor escolha para a saúde?

O que é um alimento Diet?

Segundo o Ministério da Saúde, os alimentos dietéticos são produzidos com uma composição que atenda às necessidades de grupos de pessoas com exigências físicas, metabólicas, fisiológicas ou com doenças específicas.

Os alimentos diet são divididos em três categorias:

  • Alimentos para dietas com restrição de carboidrato, gordura, proteínas ou sódio;
  • Alimentos exclusivamente empregados para controle de peso;
  • Alimentos para dieta de ingestão controlada de açúcar.

É por isso que a ideia de que todo alimento dietético é bom para que tem Diabetes é totalmente equivocada. Existem alimentos dietéticos que possuem açúcar, já que, segundo o Ministério da Saúde, um alimento livre de sódio, por exemplo, também é classificado como diet.

Também existe quem acredita que os alimentos diet são feitos para quem quer perder peso. Outro equívoco! Nem todos os produtos diet apresentam diminuição na quantidade de calorias e, por isso, nem sempre são a melhor opção para quem deseja emagrecer.

Um exemplo clássico é o chocolate diet, que apresenta o valor calórico próximo ao do chocolate normal.

O chocolate diet é indicado para as pessoas diabéticas pois é isento em açúcar, mas não para as pessoas que desejam reduzir de peso – já que no chocolate diet há uma maior adição de gordura, para manter o sabor agradável, e isso faz com que seu valor calórico se aproxime ao do chocolate normal.

Quem quer perder peso deve observar no rótulo qual nutriente foi retirado ou substituído, e assim saber se o produto em questão é de fato de baixa caloria.

O que é um alimento Light?

Segundo o regulamento do Ministério de Saúde, os alimentos light devem ter no máximo 40kcal a cada 100g em produtos sólidos e até 20kcal a cada 100ml no caso das bebidas.

Outra possibilidade para garantir a denominação light é que o alimento tenha redução de no mínimo 25% no teor de determinado nutriente ou teor calórico em relação ao similar convencional – o produto ao qual o alimento é comparado deve ser indicado no rótulo.

Este tipo de produto pode ter a redução dos seguintes nutrientes:

  • Açúcares
  • Gordura saturada
  • Gorduras totais
  • Colesterol
  • Sódio

Com a retirada ou redução de algum desses nutrientes, o alimento pode sim apresentar uma diminuição de calorias, mas é fundamental se manter atento à tabela nutricional e verificar se esta redução é significativa.

O que é um alimento Zero?

Esta é a denominação mais recente adotada pela indústria e esses produtos se assemelham bastante aos diet, sendo isentos de algum nutriente. A diferença é que, no caso dos alimentos zero, a mudança deve ser, obrigatoriamente, feita em comparação com a versão tradicional.

Se a isenção for de açúcares, o produto muito provavelmente vai apresentar valor calórico reduzido. Se a isenção for de algum outro nutriente, o valor calórico poderá ser exatamente o mesmo da versão tradicional.

Mais uma vez, é preciso estar sempre atentos aos rótulos, pois quando um ingrediente é retirado de um produto, outro pode ser colocado para melhorar outros aspectos, como sabor e aparência.

Por exemplo, na maioria das vezes os produtos “zero açúcar” trocam este componente por adoçantes, como sacarina e ciclamato – aumentando a quantidade de sódio, o que os torna contraindicados para quem sofre de hipertensão.

Conclusão

É praticamente impossível determinar uma denominação específica para cada objetivo – por exemplo, o “melhor para emagrecer”, ou o “alimento dos diabéticos”.

Mas, de forma geral, os produtos light são uma boa opção para quem busca o emagrecimento, pois a redução deve ser de no mínimo 25% de algum nutriente, ou obedecer ao limite de calorias imposto pelo Ministério da Saúde.

Para quem tem algum problema de saúde, como diabetes ou hipertensão, os produtos diet são os mais recomendados, mas é obrigatório ler o rótulo para saber se o produto em questão é livre do nutriente que essas pessoas não podem consumir.

Nunca, jamais, em hipótese algum, compre algo sem olhar o rótulo!

Veja a tabela nutricional dos produtos convencionais e compare com a tabela nutricional do produto diet, light ou zero.

Muitas vezes, a diferença é mínima, e a quantidade de gordura ou sódio acaba sendo muito maior nesses produtos.

Nem sempre esse tipo de produto é mais saudável, e nem sempre são os melhores para emagrecer. Não caia em “pegadinhas”!

LEIA MAIS: Como as atividades físicas podem colaborar na saúde da pele

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>